• hppadilha9

Transição energética, um desenvolvimento a longo prazo

Atualizado: 12 de set.

A empresa alemã SINN Power conseguiu um feito um tanto que inédito: conseguir produzir energia renovável híbrida (utilizando o sol, o vento e a força das ondas do mar), por meio de uma plataforma flutuante. De acordo com a companhia, a plataforma Ocean Hybrid Platform — instalada em Heraklion, na ilha grega de Creta —, consegue produzir tanto eletricidade quanto hidrogênio e sua mobilidade é o grande atrativo da empresa.




Desde o século 21, as restrições dos recursos de energia fóssil tornaram-se cada vez mais discutidas e progressivamente implementadas. A prática tem mostrado que o modo de desenvolvimento com dependência excessiva da energia fóssil é instável. Atualmente, para atender às necessidades de desenvolvimento energético futuro, o aprimoramento e a utilização de energia limpa estão sendo estudados para serem alavancados e ganharem status de desenvolvimento mais acelerado.


A energia limpa é limitada por fatores como: 1) escala de desenvolvimento e economia insuficiente; 2) resolução de problemas de conversão de energia, 3) alocação de recursos e 4) utilização eficiente.


Diante de desafios no fornecimento de energia do mundo, ambiente energético, alocação de energia e eficiência energética, governos e empreendedores buscam acelerar a revolução energética, abrir e explorar o caminho do desenvolvimento sustentável.


Energia renovável refere-se a qualquer forma de energia do sol, fontes geofísicas ou biológicas, que é gerada em um ciclo natural de ciclos infinitos e pode ser continuamente reabastecida, por isso é inesgotável. A energia renovável geralmente inclui energia solar, energia eólica, energia hídrica, energia geotérmica, energia oceânica e energia de biomassa.


O noticiário mostra cada vez mais notícias de aumento do consumo de energia renovável, sendo a produção de eletricidade a mais utilizada, respondendo por um percentual crescente da geração de eletricidade. Em termos de capacidade de produção, os cinco principais países para aplicações de energia renovável em escala considerável são China, Estados Unidos, Brasil, Índia, Alemanha e África do Sul.




Fonte 1: SEQ Fonte \* exemplo brasileiro, dados 2021.

O desenvolvimento de energia renovável pode reduzir a dependência de energia ou combustível importado, diversificar a forma de produção, aumentar a segurança energética regional e evitar a crise de mudança ou suspensão do fornecimento externo por diferentes fatores.


A indústria de energia renovável continua a crescer, criando empregos. O setor de energia renovável empregou direta ou indiretamente milhares de pessoas. De acordo com a National Solar Jobs Census 2020, principalmente em energia solar fotovoltaica*, bioenergia, energia hídrica e eólica e seus derivados. De acordo com a previsão, os empregos no setor de energia não renovável diminuirão ano a ano, mas o setor de energia renovável criará mais empregos e trará um crescimento positivo para as oportunidades gerais de emprego no setor de energia.


Serviços universais de energia


O desenvolvimento de energias renováveis ​​pode ajudar a acelerar o acesso aos serviços de energia. Infelizmente ainda muitas residências em área rural ou zonas afastadas/ isoladas não possuem acesso a eletricidade. Creio que são justamente essas residências sem luz elétrica, que têm menos condições financeiras para adquirir um sistema de geração e armazenagem independente. E os que conseguem se queixam das baterias que duram pouco e têm manutenção frequente.

Algumas fontes de energia renovável não precisam estar conectadas à rede central e podem fornecer serviços de eletricidade por meio de uma rede descentralizada (por meio de equipamentos solares, eólicos, hidrelétricos); vários serviços modernos também podem ser fornecidos por meio de energia renovável não elétrica fontes (como o uso de energia solar para fornecer eletricidade), água quente etc.).


Dificuldades na aplicação de energia renovável


Seleção do local e restrições do ambiente natural

Embora a energia renovável possa ajudar a reduzir as emissões de gases de efeito estufa e outros poluentes atmosféricos, não deixa de ter seu impacto negativo no meio ambiente. O processo de planejamento e seleção de locais para o desenvolvimento de energia renovável pode criar conflitos de uso da terra ou ter impactos sobre os moradores locais ou o meio ambiente.


Tomando como exemplo o projeto de geração hidrelétrica, que envolve afetar o ecossistema do rio, podendo também inundar as cidades da bacia, exigindo realocação da população e afetando a vida dos moradores locais. Alguns estudos apontam que as usinas eólicas podem atingir aves e morcegos, afetando seus habitats terrestres e ecossistemas. Portanto, o planejamento e a seleção do local precisam levar em consideração o ambiente local para usar adequadamente a energia renovável e perceber suas vantagens sociais e ambientais.


Além disso, o ambiente geográfico e a localização também limitarão o uso de energia renovável, por exemplo, a energia oceânica só pode ser usada em áreas costeiras e a eficiência do uso da energia solar deve levar em consideração a pluviosidade do local, latitude e longitude.


A energia renovável é facilmente afetada por fatores naturais e precisa cooperar com o sistema de armazenamento de energia para garantir seu uso estável. Até agora, a tecnologia de armazenamento de energia ainda precisa ser desenvolvida em termos de custo e escala para cooperar com o desenvolvimento de energia renovável.


Coordenação geral de economia e infraestrutura

Até agora, a energia renovável representa muito pouco do consumo total de energia (incluindo geração de energia, indústria, transporte, etc.), e não tem sido amplamente utilizada. Em termos de transporte (como transporte automobilístico e aéreo), a taxa de aplicação de energia renovável é baixíssima. Tem ganhado escala o uso de energia renovável para aquecimento e refrigeração. A popularização das energias renováveis ​​requer desenvolvimento econômico multifacetado (como o desenvolvimento de veículos elétricos) e infraestrutura.


A transição energética é um desenvolvimento a longo prazo

Com o desenvolvimento tecnológico das energias renováveis ​​e a escala gradual da indústria, o custo das energias renováveis estava caindo a cada ano, antes da pandemia de Covid mundial. O custo de várias energias renováveis ​​caiu muitíssimo e em 2019 já era mais barato do que usar combustíveis fósseis para gerar eletricidade (no momento é impossível calcular, pois o fornecimento de matéria prima está com alta demanda e baixa oferta devido aos efeitos de vários lockdowns e licenças de saúde).


Usinas de carvão, usinas de petróleo e usinas de gás natural ainda são as principais fontes no mundo.


Sem maciço investimento em pesquisa, a infraestrutura existente de energia não renovável ainda será utilizada por décadas antes de cair em desuso. Prefiro acreditar na iniciativa privada, grandes empresários a investirem em pesquisa do que legislações impositivas e novos impostos compulsórios dos governos, proibições, subsídios ou qualquer intervenção forçada. Tudo que joga contra o livre mercado sempre complica a saúde das empresas, empregos e é o consumidor final o principal afetado. Pena ainda não existir um único país ou um único governante político no globo, disposto a aplicar amplamente o livre mercado.


Governos que limitam e dão prazos para usos de energia não renovável geram problemas insolúveis como foi o caso da Holanda no início de julho de 2022. < Os agricultores nas áreas mais vulneráveis ​​têm a opção obrigatória de investir em sustentabilidade ou se mudar. Na realidade, nem todos os agricultores podem continuar com seus negócios, disse Christianne van der Wal, Ministra da Natureza e Nitrogênio da Holanda.


"Para muitos, a desigualdade é a história econômica marcante do século XX, e é algo que deve ser evitado a todo custo. Mas a desigualdade só é problemática quando é oriunda de políticas corruptas que concedem favores a grupos privilegiados ligados ao estado.

Já a desigualdade impulsionada pelo mercado é a fonte do progresso irrestrito.

Ao avaliar a qualidade das ideias, o livre mercado recompensa aqueles indivíduos talentosos e perspicazes que sabem responder às demandas dos consumidores. Ao contrário dos privilégios criados pelo governo, o livre mercado é um observador imparcial do valor. Quem sabe criar valor para os consumidores é recompensado financeiramente. Quem não sabe não enriquece — e, ainda assim, consegue viver bem.

Não é necessário ter conexões políticas para que os participantes sejam bem-sucedidos no livre mercado; apenas uma grande disposição de empregar seus talentos para bem servir aos consumidores trará sucesso. Mas como algumas pessoas são mais talentosas do que outras, os mercados livres invariavelmente produzirão desigualdade de renda. É inevitável.

No entanto, a maior probabilidade é que essas desigualdades gerem resultados positivos devido à capacidade dos indivíduos mais talentosos de melhorar o padrão de vida das pessoas comuns. É fato que a maioria das pessoas não tem a capacidade de revolucionar a sociedade; mas, felizmente para as pessoas comuns, as atividades dos indivíduos talentosos desencadeiam mudanças econômicas e tecnológicas que impulsionam o crescimento e criam oportunidades para as pessoas comuns ascenderem aos círculos da elite." Citação de Lipton Matthews, na sua coluna de economia julho 20 de 2022.


Grande abraço.

Engenheiro Hamylton Pinheiro Padilha Junior.